quarta-feira, 27 de abril de 2011

KISS



Constitui um dos maiores impactos culturais da década de 1970, valendo-se de roupas, e sobretudo, maquilhagens que marcariam a história da música. Seus dois fundadores são Gene Simmons (baixo e vocal) e Paul Stanley (guitarra rítmica e vocal), que ficaram frustrados com o fim de uma banda que formaram chamada “Wicked Lester”, assim, decidindo procurar novos integrantes para uma nova banda, encontraram tais integrantes através de anúncio na revista Rolling Stone, Ace Frehley (guitarra solo e vocal) e, pela Village Voice, Peter Criss (bateria e vocal).

Os primeiros concertos do KISS, já maquiados e trajados a seu modo, ocorreram no
New York Coventry Club, cujo cachê correspondeu a U$ 35,00 por noite. Continuaram fazendo shows pelas noites de Nova Iorque, tocando músicas próprias, quando em 1973 foram descobertos por Bil Aucoin e no mesmo ano assinaram contrato com a recém-inaugurada “Casablanca Records”.

Em 1974 lançaram seu primeiro álbum intitulado apenas “KISS”, recheado de clássicos, que a banda tocou por toda a carreira. O primeiro disco não chegou a ser um sucesso, assim como o segundo, Hotter Than Hell, lançado no mesmo ano.


Em fevereiro de 1975, lançaram Dressed To Kill, disco que continha composições da época do Wicked Lester (Love Her All I Can e She), e foi neste disco que gravaram o clássico Rock And Roll All Nite. Era o começo do estrelato.



Ainda em 1975 lançaram Alive!, primeiro álbum da banda a obter Disco de Ouro. KISS foi uma das primeiras bandas a lançar um álbum duplo gravado ao vivo. “Alive!” foi um marco para a indústria fonográfica e para a banda que anos depois lançou Alive II; em 1993, o Alive III; e em 2003, o Symphony: Alive IV, em um show que ocorreu junto com a Orquestra Sinfonica de Melbourne. Mas nenhum deles superou o enorme sucesso que foi o Alive!.


Com o sucesso estrondoso de Alive! o KISS entrou em estúdio para gravar um novo álbum, e em 1976 lançaram Destroyer, outro grande sucesso (a essa altura os 3 primeiros discos já eram sucessos). Com Destroyer vêm mais hits como Detroit Rock City, God Of Thunder e a balada Beth composta por Peter Criss, um dos grandes sucessos do KISS até hoje. O disco foi produzido por Bob Ezrin. No segundo semestre do mesmo ano lançaram Rock And Roll Over com hits como Hard Luck Woman e I Want You. Com a turnê de Rock And Roll Over, o KISS vai pela primeira vez para o Japão, país onde seriam idolatrados.

Em 1977 lançaram Love Gun. Neste álbum Ace canta pela primeira vez no KISS, a música é Shock Me, e em um dos shows desta turnê Gene mais uma vez queima o cabelo. No mesmo ano lançaram Alive II, mais um ao vivo, só que este possui no lado B do segundo disco com 4 musicas inéditas. Ace só gravou a guitarra uma dessas músicas, “Rocket Ride”, que ele mesmo canta. As outras, quem gravou foi Bob Kulick, amigo da banda. Nessa época já havia muitos produtos do KISS. A Marvel Comics lançou uma revista em quadrinhos do KISS onde a tinta vermelha usada para fazer a revista tinha o sangue de cada um dos membros do grupo.


Em 1978 a banda alcança seu auge, dá um tempos nos shows e cada integrante decide lançar um álbum solo (mas ainda com a assinatura da banda), o que mostrava que o ambiente não era dos melhores e a vaidade de cada um falava mais alto na época. Esse foi o começo da saída de Peter Criss e Ace Frehley.


Em 1979, durante a gravação de Dynasty, os integrantes da banda decidiram que Peter Criss não continuaria as gravações do álbum (este já estava se afundando em álcool e drogas), e então convocaram Anton Fig (que havia tocado no álbum solo de Ace Frehley) para gravar o álbum (mas não deixaram com que os fãs soubessem, tanto que Fig toca fora do seu estilo, seguindo mais a linha de Criss). Peter só chegou a gravar “Dirty Livin’”, música que ele mesmo canta e que ja estava pronta antes de decidirem que ele não deveria mais tocar no album. Esse disco trazia o hit I Was Made For Loving You, que seguia um pouco a tendência disco da época e fez um enorme sucesso, apesar de desapontar os fãs mais tradicionais da banda. Também contou com 3 músicas cantadas pelo Ace, uma delas a cover do Rolling Stones, 2.000 Man.


No álbum seguinte, “Unmasked”, gravado em 1979, mas lançado em 1980, Peter não participou da gravação de nenhuma musica, e novamente, Anton Fig gravou em seu lugar. Peter Criss aparece tocando no videoclipe de “Shandi” e na capa de álbum, mesmo sem ter participado de nenhuma gravação. Logo após o lançamento do videoclipe, Peter Criss saiu da banda, e em seu lugar entrou o baterista Eric Carr, que participou da turnê do disco. Esse álbum, assim como o anterior, foi altamente atacado por ser mais “pop” que os anteriores.
 

Em 1981 o Kiss lança o bastante criticado Music From “The Elder”, também conhecido por apenas The Elder. Neste álbum, o Kiss muda um pouco seu estilo, e não agrada ao público em geral. Para rebater as críticas sofridas e tentar finalmente agradar aos críticos mostrando que eram músicos competentes, o KISS muda radicalmente de posicionamento. Pela primeira vez desde seu surgimento, via-se uma foto da banda com os integrantes de cabelos curtos e com roupas mais discretas, apesar de continuarem utilizando as máscaras. Contrataram novamente o produtor Bob Ezrin (que produziu Destroyer), que idealizou o álbum. Ace (que gravou as suas participações no disco em um estúdio montado na sua casa) e Eric não concordaram com o lançamento, diziam que não era KISS. Por seu grande fracasso, este álbum não teve turnê, limitando-se à duas músicas executadas ao vivo durante um programa de televisão. Após isso, KISS só tocou uma música desse álbum durante uma apresentação. Foi no “MTV Unplugged”, de 1996, 15 anos após o lançamento do álbum. Até hoje fãs debatem se esse é o pior álbum ou um dos melhores da fase mascarada, com musicas de excelente sonoridade como The Oath e A World Without Heroes.


No começo de 1982, por insistência da gravadora, lançaram a coletânea Killers, com 4 músicas inéditas, Ace não participou de nenhuma delas. Um pouco antes das gravações de Creatures Of The Night, em 1982, Ace Frehley sofreu um acidente de carro e não pode gravar o álbum, então varios outros guitarristas foram chamados para substituí-lo. Ace não toca em nenhuma música do álbum. Após o lançamento do álbum Ace participou do videoclipe de “I Love It Loud”, mas não tocou o solo da música, e sim Paul Stanley. Após isso, saiu da banda, por problemas de alcoolismo e drogas. Ace foi substituído por Vinnie Vincent, conhecido da banda que já havia participado anteriormente da composição de algumas músicas e tocado no “Creatures”. Vinnie participou da turnê, que terminou em 1983 com três shows no Brasil. No Brasil ocorreu o maior público em um show do Kiss, e foi também onde o Kiss tocou pela ultima vez com as maquiagens antes da Reunião.
 

Depois da turnê, o KISS, em um golpe publicitário, decidiu tirar a maquiagem e lançar um novo CD. Lick It Up. Após a turnê, Vinnie sai da banda, e Mark St. John, um guitarrista canadense, entra para gravar Animalize ( 1º disco do KISS lançado simultaneamente em CD), mas devido a seu problema de artrite nas mãos não consegue gravar todas as músicas. Bruce Kulick, irmão de Bob Kulick, gravou essa última música. Na turnê, Mark St. John não consegue tocar durante o show inteiro, então Bruce Kulick era chamado para substituí-lo. Durante todo o tempo em que fez parte da banda, Mark St. John só conseguiu tocar um show inteiro. No meio da turnê, Mark St. John sai definitivamente do KISS, e Bruce assume seu lugar (Mark St. John morreu no dia 5 de abril de 2007, aparentemente de uma hemorragia cerebral - a doença que o impediu de continuar tocando era uma espécie de artrite que provocava inchaço nas mãos e braços). Essa época tem como ponto marcante as roupas extremamente coloridas, chegando a lembrar Twisted Sister.


Em 1985 lançaram o álbum Asylum, que teve a música Tears Are Falling, outro grande sucesso. Ainda no mesmo ano, Gene cria sua gravadora (Simmons Records). Depois de 1 ano sem lançar nenhum disco voltaram para o estúdio, gravaram o álbum que foi lançado em 1987, Crazy Nights.


Depois de 10 anos o KISS voltou ao Japão em 1988 com a Crazy Nights Tour. Neste mesmo ano lançaram a coletânea Smashes, Thrashes & Hits, com duas músicas inéditas, Let’s Put The X In Sex e (You Make Me) Rock Hard e uma nova versão para Beth cantada por Eric Carr.


No ano de 1989, Paul saiu em turnê solo pelos EUA, tendo em sua banda Bob Kulick na guitarra e Eric Singer na bateria. Voltaram para o estúdio e lançaram no mesmo ano o álbum Hot In The Shade que tem o hit Forever.


Em Abril de 1991, Eric Carr, que havia substituído Peter Criss, descobre que possuía um raro tipo de câncer no coração. No dia 24 de Novembro, seis meses após descobrir a doença, morre. Freddie Mercury, vocalista do Queen, morreu também neste mesmo dia. Após sua morte, é substituído por um baterista de mesmo nome, Eric, Eric Singer, que havia tocado na turnê solo do Paul Stanley.


No álbum Revenge (álbum seguinte após a morte do baterista), a música “God Gave Rock And Roll To You II” possui os backing vocals gravados por Eric Carr. No álbum também havia uma homenagem para o finado baterista, uma faixa de nome “Carr Jam 1981”, onde ele tocava bateria e guitarra. Muitos consideram esse álbum o melhor desde o Lick it Up.


No ano seguinte, 1993, aproveitando a turnê de Revenge, lançaram mais um ao vivo, Alive III.
 

Em 1995, a MTV convida o KISS a fazer um álbum acústico, da série “Unplugged” da MTV. Gravado no dia 9 de Agosto de 1995, nos estúdios da Sony. O evento contou com a presença dos integrantes originas Peter Criss e Ace Frehley. O Álbum ganhou um DVD e posteriormente, um DVD sem cortes.


O KISS percebeu que seria uma boa ideia voltar à formação original e com as maquiagens. E foi assim, Gene e Paul, agora novamente com Peter e Ace, e as maquiagens, saíram em uma turnê mundial que recebeu o nome de Alive WorldWide Tour. Em 1997 o KISS lança “Carnival Of Souls - The Final Session”, mas ainda com Bruce e Singer.


“Psycho Circus”, lançado em 1998, volta com a formação original, e com uma nova turnê. Posteriormente foi lançada uma versão dupla do álbum, cujo segundo disco continha músicas gravadas durante um show da turnê. A “Psycho Circus Tour” teve dois shows no Brasil, um em Porto Alegre e outro no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.


No ano de 2000 o KISS anuncia uma Farewell Tour, que seria a turnê de despedida da banda. No meio da turnê Peter Criss teve que se ausentar por problemas de artrite, e em seu lugar voltou o ex-baterista da banda Eric Singer. Após a turnê, que deveria ser a última, o KISS decide fazer um novo álbum ao vivo, este que seria junto com a Orquestra Sinfônica de Melbourne.


Ace Frehley sai da banda e não participa do show. Em seu lugar, entra Thommy Thayer, que já havia produzido alguns albuns da banda. Peter Criss, já recuperado, volta para fazer o show. No dia 28 de Fevereiro de 2003, em Melbourne, o KISS faz um show para entrar pra história.


Após o show Eric Singer volta para a banda, e parte para uma nova turnê, a Rock The Nation Tour, que rendeu até um DVD que foi gravado em 2004, mas foi só lançado no final de 2005. Também em 2005, Gene e Paul anunciam “férias” da banda e que durariam 2 anos.


Em Outubro de 2006 Paul Stanley lança seu segundo álbum solo, Live To Win e sai em turnê para divulgação. Uma curiosidade, um dos guitarristas que o acompanha neste tour, é o curitibano Rafael Moreira, que com 18 anos saiu de Curitiba e se desenvolveu tocando guitarra nos EUA. O álbum está tendo boa repercussão


O baterista original do Kiss, Peter Criss, lançará um novo disco solo chamado “One For All” no dia 24 de julho pela Silvercat Records. Além de prestar homenagem ao seu ex- companheiro de banda, Ace Frehley, com a faixa “Space Ace”, o disco vem com músicas que apresentam títulos como: “Last Night”, “Heart Behind The Hands” “Send In The Clowns”, “Doesn’t Get Better Than This” e “Faces In The Crowd”. Peter passou os últimos dois anos preparando as músicas para esse projeto, que vai ser o quarto de sua carreira solo. Os outros são “Out of Control” (1980), “Let Me Rock You” (1982) e “Criss Cat #1” (1994).


Em 2007 o KISS se apresentou em uma mini turnê (Hit N’ Run Tour) pelos Estados Unidos com quatro concertos. No último concerto desta mini turnê, o frontman do Kiss, Paul Stanley horas antes do concerto sofreu uma arritmia cardíaca que impediu que o mesmo pudesse tocar. O que resultou no primeiro concerto em “trio” da história do Kiss. Um emocionante concerto em homenagem a Paul Stanley que dias depois já havia se recuperado completamente. Continuando em 2007, a banda esteve mais uma vez presente na Série Guitar Hero; desta vez a música licenciada foi o seu “hino” “Rock And Roll All Nite, podendo ser tocada no Guitar Hero 3.


Em 16 de março, teve início a temporada de Fórmula 1 com o Grande Prêmio da Austrália. O Kiss fechou o evento com um show no Melbourne Park para mais de 50.000 pessoas. A partir desta data, deu-se início a Kiss Alive/35 World Tour.


No dia 29 de novembro de 2008 Paul Stanley disse, durante uma entrevista, que no verão americano de 2009 o KISS irá voltar a gravar um álbum em estúdio com músicas inéditas fato que não acontecia desde 1998 com o álbum Psycho Circus. Paul disse que o álbum será no estilo do bom e velho rock dos anos 70’, “de volta às raízes”.
 

Em 2009, a banda se apresentou no Brasil, ainda pela “Kiss Alive/35 World Tour”. Foram dois shows, o primeiro em São Paulo, dia 7 de abril, na Arena Anhembi e na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro, no dia seguinte.


Em 6 de outubro do mesmo ano o álbum Sonic Boom foi lançado; segundo o baixista Gene Simmons esse seria o melhor álbum do grupo em 30 anos. Logo em seguida a banda iniciou turnê pela América do Norte, com o término apenas no dia 15 de Dezembro. No meio desta mesma turnê, os integrantes do Kiss anunciaram uma turnê pela Europa.


Atualmente o Kiss se encontra de férias, esperando o começo da turnê europeia, dia 1 de maio de 2010.

Fotos: Reprodução 

terça-feira, 26 de abril de 2011

FRASE DE TERÇA

A diferença entre sexo pago e sexo grátis é que o sexo pago costuma sair mais barato.” (Henry Louis Mencken)

quarta-feira, 20 de abril de 2011

The Kinks



The Kinks foi uma banda de rock britânica formada em Londres, em 1963, por Ray Davies, Dave Davies e Pete Quaife.

A formação original era composta por Ray Davies (guitarra guia, vocalista principal, piano, compositor principal), Dave Davies (composições, guitarrista principal, vocais), Pete Quaife (baixo, vocais) e Mick Avory (bateria).


Embora não tenham sido inovadores como os Beatles ou populares como os Rolling Stones, os Kinks foi uma das mais influentes bandas da Invasão Britânica e provavelmente a mais representativa do movimento Mod, juntamente com o The Who e o Small Faces. Durante sua carreira o grupo se tornou famoso por seus conflitos, tanto públicos quanto privados, particularmente entre os irmãos Ray e Dave, que frequentemente resultavam em agressões.


Depois de uma carreira que atravessou os anos 60, 70 e 80 com algumas mudanças de formação, os Kinks se separaram nos anos 90, quando os projetos solo dos irmãos Davies passaram a ter mais importância para eles.
 

The Kinks, que tiveram como primeiro nome The Ravens, começaram sua carreira em 1962, tendo gravado seu primeiro compacto pela Pye Records, com um sucesso de Little Richard: “Long Tall Sally”, mas foi no terceiro single que ficaram conhecidos. “You Really Got Me” pode ser considerada o nascimento do heavy metal, em 1964. Essa canção chegou ao 1º lugar nas paradas de sucessos britânicas e durante os 3 anos seguintes a criatividade e inspiração de Ray Davies produziria pérolas como “Tired of Waiting for You”, “Everybody’s gonna be happy”, “Set me free”, “I need you”, “See my friend” e “Till the end of the day” entre outras, sempre fugindo da mediocridade, através da introdução de coisas novas tanto na sonoridade como nos temas abordados. A postura “excêntrica” do grupo (justificando o seu nome), porém, trazia problemas para que fossem totalmente aceitos como um dos grandes grupos de rock da época. Com Face To Face (1966) e Something Else By The Kinks (1967) afiaram sua visão irônica da época e dos costumes britânicos em sucessos como “Death of a clown”, “Autumn almanac”, “Tin soldier man” e “Afternoon tea”.
Mas, essa crítica atingiu níveis extremos em The Kinks Are The Village Green Preservation Society (1968) e Arthur Or The Decline Of The British Empire (1969). Esse último trabalho, que foi a primeira ópera rock gravada, chocou a opinião pública pela forma direta como tratava a decadência econômica e moral do Império Britânico, e não chegou às paradas de sucesso.

Lola vs. Powerman And The Moneygoround (1970), uma fábula sobre travestis, os levou novamente ao topo das paradas e consolidou sua fama também nos Estados Unidos, onde músicas suas se tornaram hinos na luta contra a guerra do Vietnam. Os Kinks aproveitaram o momento realizando grandes concertos e extraindo todas as possibilidades musicais de seus discos conceituais, com a incorporação de instrumentistas em seus shows. Seu próximo disco Muswell Hillbillies (1971), carregava forte influencia do country norte americano. Preservation: a play in two acts (1974), Soap Opera (1975) e Schoolboys in disgrace (1975) não trouxeram nada de novo, mas funcionaram como preparação para os ótimos Sleepwalker (1977) e Misfits (1978), álbuns com melodias marcantes e letras de qualidade, abandonando a necessidade de um fio temático condutor. Nessa época Jim Rodford assumiu o contra-baixo. A imprensa britânica se viu obrigada a divulgar o sucesso de seus mega concertos americanos. 
 

Low Budget (1979) e Come Dancing with The Kinks (1983), frequentaram as paradas de sucesso, e sua obra era resgatada por grandes nomes da época como David Bowie, Van Halen (“You really got me”) e The Pretenders (“Stop you sobbing”). Dois álbuns ao vivo, demonstraram toda a potência das performances do grupo, enquanto sua criatividade era reciclada: One for the Road (1980) e Give the People What They Want (1981). Ray Davies tem uma filha (Natalie), no seu relacionamento com Chrissie Hinde dos Pretenders, em 1983. State of confusion (1983), Word of mouth (1984), Think visual (1986) e UK Jive (1989) estavam bem acima da média do que era produzido na época, apesar de não superar os trabalhos anteriores do grupo. Bob Henrit substituía Mick Avory, na bateria. 
 

Em 1990, The Kinks foram indicados para o Rock and Roll Hall of Fame, reconhecendo sua contribuição para a música. Em 1993, lançam Phobia, que também resultou em uma grande tournée nos EUA. Em 1994, sai To The Bone, uma gravação ao vivo - em estúdio, de vários hits da banda. Em 1996 é lançada uma coletânea com os maiores sucessos da banda, cujo título é um trocadilho que reflete bem o pensamento daqueles que cultuam a música deste grupo: God Save The Kinks.Os Kinks desmancharam nos anos 96, quando os projetos solo dos irmãos Davies passaram a ter mais importância para eles.


Ray Davies mostrou entusiasmo para voltar aos palcos mais uma vez. Em entrevista ao jornal Daily Mail, confessou ter conversado com o baixista Pete Quaife sobre uma possível gravação juntos

No começo de 2000 rumores de uma reunião dos Kinks começaram a circular, mas incidentes ocorridos com os irmãos Davies em 2004 (Ray levou um tiro na perna ao perseguir assaltantes em Nova Orleans, em 4 de janeiro; Dave, em 30 de julho, sofreu um derrame cerebral em Londres) adiaram quaisquer tentativas de reagrupar a banda.

Fotos: Reprodução

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Heaven & Hell



Heaven & Hell é o nome do projeto paralelo da banda Black Sabbath que consiste em Ronnie James Dio nos vocais, Vinny Appice na bateria, Scott Warren nos teclados, Gezzer Butler no baixo e Tony Iommi na guitarra.

Heaven & Hell também é o nome do 9º álbum da banda Black Sabbath, de 1980. Este álbum se distingue dos anteriores por ser o 1º álbum com Ronnie James Dio (Rainbow, Elf e Dio) nos vocais.

 
Atualmente o Black Sabbath está ativo com a formação original, com Ozzy Osbourne nos vocais, Bill Ward na bateria, Gezzer Butler no baixo e Tony Iommi na guitarra.

Porém a carreira solo de Ozzy não permitia que o Black Sabbath saísse em turnês.
Então Tony Iommi, líder da banda idealizou um projeto paralelo com Ronnie James Dio como vocalista e Vinny Apice como baterista, seria a turnê para a compilação ‘The Dio Years’, que seria uma caixa com os álbuns das épocas em que o Dio esteve com a banda.

Mas como o Black Sabbath permanece com a formação original, em pausa, e para que ninguém esperasse encontrar Ozzy nos vocais e Bill Ward na bateria, decidiram nomear esta banda paralela de Heaven & Hell.


Bill Ward chegou a tocar com o Heaven & Hell nas primeiras apresentações, mas saiu para que entrasse em seu lugar Vinny Apice.


Vinny Apice foi o baterista nos álbuns ‘Mob Rules’ (1981) e ‘Dehumanizer’ (1992), ambos contaram com Dio nos vocais.
 

Foi descartada a coletânea ‘The Dio Years’, e em seu lugar Iommi lançará um CD single com 3 músicas inéditas compostas exclusivamente para esta ocasião. O Single ainda não tem nome e os nomes das músicas são ‘Shadow Of The Wind’, ‘The Devil Cries’ e ‘Ear In The Wall’.


O tecladista Scott Warren, da banda Dio, de Ronnie James Dio está em turnê junto com o Heaven & Hell, apesar das 3 músicas inéditas não possuírem teclado.

Após um cancelamento da turne europeia devido a problemas de saúde em 2009, o vocalista Ronnie James Dio faleceu no dia 16 de maio de 2010, vítima de câncer no estômago. E o projeto teve seu fim.

Em 24 de julho de 2010, os restantes membros se reuniram para gravar um último show, com os vocalistas Glenn Hughes e Jorn Lande, em tributo a Dio.

Fotos: Reprodução 

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Metallica




Lars Ulrich, que tinha se mudado da Dinamarca aos Estados Unidos na companhia do pai, um músico de Jazz, estava muito empolgado com a New Wave Of British Metal e bandas como Iron Maiden e Diamond Head, levando estes conceitos para os EUA. Lá ele conheceu James Hetfield e Dave Mustaine, e chamaram também o baixista Ron McGovney. Em 1982, assistindo a um show dos Trauma, eles vêem Cliff Burton, e o chamam para substituir Ron. Cliff aceita e aí nasce o Metallica com sua primeira demo, Hit the Lights lançada para a coletânea Metal Massacre. No começo de 1983, expulsam Dave por problemas com álcool e drogas. Kirk Hammett, então guitarrista dos Exodus,  foi chamado para o substituir.

O nome surgiu quando o produtor musical de Heavy Metal Ron Quintana pediu à Lars para ajudá-lo a escolher um nome para sua nova revista, que destinava-se a promover bandas de Metal dos Estados Unidos e Reino Unido. Entre uma lista de Quintana de vários nomes que incluía “Metallica”.


A música era inspirada em outras bandas como Led Zeppelin, Black Sabbath, Motörhead, Diamond Head, Saxon, Thin Lizzy, Iron Maiden, Venom e Mercyful Fate, entre outras, em sua maioria britânica. Outras influências incluíam bandas de Punk Rock como Misfits, Zeroption e The Ramones, e o Hardcore Punk do Discharge.
 

Em 27 de Setembro de 1986, durante a parte Européia da turnê Damage Inc., Cliff Burton faleceu perto de Ljungby, Suécia (em uma viagem entre Estocolmo e Copenhague) quando o ônibus da turnê deslizou na rodovia congelada e tombou. A morte de Burton resultou em questionamentos sobre o futuro da banda. Por fim os três membros remanescentes decidiram continuar o trabalho, e com o apoio da família de Burton começaram a busca por um substituto. O corpo foi cremado e as cinzas lançadas em Maxwell Ranch. Na cerimônia, foi tocada a música Orion (um instrumental) do Master of Puppets. O Metallica tocou esta música em um medley em 1992 em San Diego na Califórnia junto com outras músicas, entre elas My Friend of Misery e citações a (Anesthesia) Pulling Teeth do álbum Kill ‘Em All.


A partir das audições para a escolha de um novo baixista estava Les Claypool (da banda Primus), um amigo de infância de Hammett. A banda gostou do baixista, mas considerava seu estilo muito diferente do estilo do Metallica. O convite foi feito a Jason Newsted. Jason reuniu-se à banda oficialmente em 28 de Outubro de 1986, três semanas após o funeral de Burton. A turnê foi terminada nos primeiros meses do ano seguinte. Em Julho de 1987 gravaram The $5.98 E.P.: Garage Days Re-Revisited para testar um novo estúdio que eles haviam construído e para testar o talento de Newsted.


…And Justice for All foi lançado em 1988, o primeiro de estúdio desde a morte de Burton. Ele teve grande sucesso comercial, atingindo a sexta posição da Billboard 200, o primeiro álbum da banda a estar entre os dez primeiros. Apesar de críticas, em 1989 a banda recebeu sua primeira indicação ao Grammy pelo álbum, para a categoria
Melhor Desempenho de Hard Rock/Metal Vocal Ou Instrumento. Entretanto, o prêmio foi ganho pela banda Jethro Tull pelo seu álbum Crest Of A Knave. O resultado gerou muita controvérsia, pois a banda realmente esperava ganhar o prêmio e já estava na saída dos fundos do palco esperando serem chamados, logo após terem apresentado a canção One. Os integrantes do Jethro Tull (por muitos a banda não é considerada nem mesmo de Hard Rock e Metal) não haviam nem mesmo ido à cerimônia, assumindo que sua chance de ganhar o prêmio era ínfima.

Seguido do lançamento de ... And Justice For All, o Metalli
ca assumiu a grande média da música com seu primeiro clipe One. Apresentaram a canção em um depósito abandonado, e o vídeo foi remixado com cenas de uma versão do filme Johnny Got His Gun. Ao invés de organizar um acordo de licença para apresentar cenas do filme, a banda simplesmente comprou os direitos da obra. O vídeo foi enviado à MTV, com uma versão alternativa somente com a banda tocando, caso a emissora não aceitasse a versão original. Apesar de sua duração longa, a MTV aceitou o vídeo.

Em 1991, Metallica é lançado, incluindo canções como Nothing Else Matters, Enter Sandman, Sad But True, The Unforgiven, Holier Than Thou, Wherever I May Roam e Of Wolf and Man.
A gravação foi co-produzida com Bob Rock, que já havia trabalhado com bandas de Hard Rock como The Cult, Bon Jovi e Mötley Crüe. O álbum possui uma capa toda preta com uma imagem pálida de uma cobra em um dos cantos, com o nome da banda no canto oposto. As sessões de gravação tornaram-se um processo longo e árduo, durando mais de um ano devido a conflitos entre os integrantes e argumentos com Rock sobre a direção do álbum, escopo e som. O custo de gravação superou um milhão de dólares. Entretanto, apesar da batalha para seu término, o álbum tornou-se o lançamento mais bem sucedido da banda, atingindo o topo da Billboard.

O primeiro single de Metallica foi Enter Sandman, mostrando um estilo de música mais lento que trabalhos anteriores da banda. Devido ao novo estilo do som, mais alegações sobre uma “banda vendida” foram direcionados ao Metallica através da década de 1990. Em 1992, durante uma turnê muito bem sucedida financeiramente com o Guns N’ Roses, Hetfield sofreu severas queimaduras de segundo e terceiro grau devido à pirotecnia durante a abertura de “Fade To Black”, impedindo-o de tocar guitarra por um período da turnê. O roadie da banda e guitarrista do Metal Church, John Marshall, preencheu a posição da guitarra de Hetfield durante esse período.


Após quase três de suporte ao álbum, incluindo uma apresentação no Woodstock 1994, a banda entrou em estúdio para escrever e gravar seu sexto álbum, Load. Interromperam esse período em meados de 1995 e apresentaram-se em três concertos ao ar livre, a chamada Escape from The studio Tour 1995, com bandas como Slayer, Skid Row, Slash’s Snakepit, Therapy? e Corrosion of Conformity. Load foi lançado em 1996, e durante sua produção inicial a intenção era um álbum duplo. Entretanto, foi decidido que seria melhor lançar somente metade das canções primeiro, continuar o trabalho nas canções remanescente, e lançá-las no ano seguinte. Essa continuação do trabalho resultou no álbum seguinte da banda, ReLoad.


Esses dois álbuns representaram uma significativa mudança musical para o Metallica. as melodias rápidas de heavy metal com composições sobrepostas de guitarra foram substituídas por melodias de blues e guitarra havaiana. Suas vendas foram inferiores às vendas dos três álbuns anteriores.


Em 1998 foi lançada a compilação Garage Inc., que consistia em um álbum duplo. O primeiro CD contém gravações inéditas de covers de bandas como Killing Joke, The Misfits, Thin Lizzy, Mercyful Fate, Black Sabbath, Nick Cave e Bob Seger. O segundo CD contém gravações antigas de covers, incluindo o EP The $5.98 E.P.: Garage Days Re-Revisited. As vendas não foram significativas comparadas com os estrondosos sucessos dos álbuns anteriores.


Em 7 de março de 1999 a banda foi indicada à calçada da fama de San Francisco. O então prefeito da cidade Willie Brown, proclamou aquele como sendo o “Dia Oficial do Metallica” em San Francisco. Um mês depois em 21 e 22 de abril, a banda gravou duas apresentações com a San Francisco Symphony Orchestra, na época conduzida por Michael Kamen. Kamen, que já havia trabalhado com Bob Rock em “Nothing Else Matters”, havia entrado em contato com a banda oito anos antes, logo após o lançamento do Álbum Preto, com idéias sobre a junção da música do Metallica com uma orquestra sinfônica. Kamen e sua equipe compuseram material de orquestra adicional para um número de canções da banda, e os concertos apresentaram uma seleção de canções datadas até a época de Ride the Lightning. A banda também escreveu duas novas canções com Kamen para o evento, “No Leaf Clover” e “Minus Human”. A gravação de áudio e o vídeo do concerto foram lançados em novembro de 1999 com o nome S&M, em CD, VHS e DVD.


Os integrantes do Metallica descobriram que um demo de sua canção “I Disappear” estava sendo distribuído por redes P2P através do compartilhador de arquivos Napster. Não somente a canção estava incompleta, mas ela deveria ter sido lançada em combinação com a trilha sonora do filme Mission Impossible 2.


Descobriram logo então que, adicionalmente àquela gravação, todo o seu catálogo está disponível gratuitamente entre os utilizadores do programa. A banda iniciou ações legais contra o Napster, exigindo que trezentos mil utilizadores que estavam compartilhando a canção fossem banidos da rede. Ações legais também foram iniciadas contra a Universidade de Yale, Universidade do Sul da Califórnia e Universidade de Indiana, por não bloquearem o Napster em seu campus. No ano seguinte, ambas as partes concordaram em um acordo fora dos tribunais que levou ao bloqueio de contas de utilizadores do Napster, e a banda não iniciou ações legais contra indivíduos por violação de direitos autorais.


Com a controvérsia sobre a validade ou não de compartilhadores de arquivo, páginas web publicavam paródias dos membros da banda. Como retaliação, Ulrich apareceu no MTV Video Music Awards de 2000, em um vídeo com o apresentador daquele ano Marlon Wayans, no qual ridicularizava a idéia de usar o Napster para compartilhar música. Marlon interpretava um estudante universitário sentado em seu dormitório, ouvindo a canção “I Disappear” do Metallica. Ulrich, interpretando a si próprio, aparece e pede uma explicação. Após receber a desculpa de Wayan de que usando o Napster estava somente compartilhando, Lars replicou que a idéia de Marlon sobre compartilhar era simplesmente emprestar coisas que não era suas sem pedir. Ele chamou então a equipe de turnê da banda, que prosseguiu confiscando todos os pertences de Wayan, deixando-o quase nu em um quarto vazio. O criador do Napster Shawn Fanning respondeu posteriormente à cerimônia ao apresentar um prêmio vestindo uma camiseta do Metallica com os dizeres “Eu emprestei esta camisa de um amigo. Talvez, se eu gostar dela, irei comprar uma própria”.


A ridicularização do público foi grande já que a banda iniciou sua carreira na cena underground com a troca de bootlegs de suas apresentações. A defesa da banda era que o Napster estava permitindo acesso livre a todo o seu catálogo e não somente os bootlegs ao vivo.


Com planos de volta aos estúdios em 2001, Newsted deixou a banda em janeiro alegando danos físicos após vários anos tocando com o grupo. Entretanto, entrevistas posteriores com Newsted e os integrantes remanescentes revelaram que o desejo de Newsted de lançar um CD e entrar em turnê com seu projeto paralelo Echobrain, e a resistência intensa de Hetfield à idéia, foi a causa primordial da saída do músico. Jason também alegou que não havia espaço para ele compôr porque James Hetfield “impôs” essa barreira.
 

Em julho de 2001, Hetfield entrou em reabilitação devido a alcoolismo e outros vícios, e por quase um ano a banda entrou em hiato. Com a volta do vocalista, a banda voltou lentamente como um trio para a escrita e gravação do próximo álbum. A tarefa de baixo nas sessões de gravação havia sido feita pelo produtor da banda, Bob Rock. A gravação do álbum foi documentada para o filme Some Kind of Monster.


No início de 2003, seguido da gravação do álbum, o Metallica iniciou testes para a escolha de substituto permanente para Newsted. Robert Trujillo, anteriormente do Suicidal Tendencies e da banda de Ozzy Osbourne, foi escolhido como novo baixista. Jason Newsted acabou unindo-se à banda de thrash metal Voivod em 2002. Acabou também substituindo Robert Trujillo na banda de Ozzy durante a turnê Ozzfest de 2003.


Em junho de 2003 foi lançado o oitavo álbum de estúdio do Metallica, St. Anger, estreando na primeira posição das paradas musicais. Intencionalmente seco e bruto, foi seguido de críticas dos fãs. Apesar disso, o álbum ganhou o Grammy Award de 2004 para Melhor Desempenho de Metal.


Após turnês extensas divulgando o álbum na Summer Sanitarium Tour 2003 e na Madly in Anger with the World, a banda entrou em hiato dos concertos e passou a maior parte de 2005 com amigos e família.


Em 16 de fevereiro de 2006 a banda anunciou em sua página oficial que após um relacionamento de mais de quinze anos, o produtor musical de longa data Bob Rock não estaria mais gravando o próximo álbum de estúdio do Metallica. O grupo gravou em 2008 um álbum de estúdio com o produtor Rick Rubin, que já trabalhou com outras bandas proeminentes de rock e metal como Slayer, System of a Down, Slipknot, Red Hot Chili Peppers, Rage Against the Machine e atualmente Linkin Park.


A banda esteve em Portugal a 28 de junho de 2007, na sua Sick of the Studio Tour, proporcionando um grande concerto no festival Superbock Superock, juntamente com Joe Satriani e Mastodon, onde tocaram temas poucos habituais nos seus concertos, como a instrumental “Orion” e “…And Justice for All”, canção que a banda já não tocava ao vivo há dezoito anos. A 5 de junho de 2008, a banda tocou no Rock in Rio Lisboa, onde tocaram clássicos como One (com uma excelente pirotecnia) Nothing Else Matters ou Seek and Destroy. No final do concerto Hetfield prometeu que voltaria em 2009 a Portugal, apresentando trabalhos do seu novo álbum, finalizado em setembro de 2008, Death Magnetic.

Em junho de 2010, Metallica, juntamente com Slayer, Megadeth e Anthrax, realizaram uma turnê juntos na Sonisphere Festival na Polónia, República Checa, Bulgária, Roménia e Turquia, chamada Big Four of Thrash. Em 22 de junho, todas as bandas tocaram no mesmo palco juntas pela primeira vez, em Sofia Bulgária, a música "Am I Evil?", cover de Diamond Head realizado pela primeira vez em 1984, pelo Metallica. Esta é também a primeira vez que James Hetfield e Dave Mustaine tocaram juntos desde 1983, quando Mustaine foi expulso do Metallica. Os shows foram gravados e editados e, em seguida, foi ao ar em mais de 800 cinemas em todo o mundo no mesmo dia do festival. Esse show marcou a história do rock, e foi gravado em DVD/Blu-ray ao vivo, intitulado "The Big 4 Live from Sofia, Bulgaria".

Em Outubro de 2010 a banda foi confirmada no Rock in Rio 4, que vai acontecer no Rio de Janeiro em Setembro de 2011.

Em 13 de dezembro de 2010, o Metallica anunciou que voltará a realizar o Big Four, durante o Sonisphere Festival, no Reino Unido, em 8 de julho de 2011. Esta será a primeira vez que todos os membros do Big Four vão estar no mesmo palco no Reino Unido. O show acontecerá em Knebworth House, Hertfordshire. Outro show do Big Four foi anunciado que terá lugar na França em 9 de julho de 2011.

Fotos: Reprodução

quarta-feira, 13 de abril de 2011

SRV



Stephen (“Stevie”) Ray Vaughan nasceu em Dallas, no Texas (3 de Outubro de 1954 e morreu em 27 Agosto de 1990) e foi um guitarrista de blues americano, conhecido como um dos mais influentes músicos da história. Ele é freqüentemente referido por suas iniciais, SRV.

No início de sua carreira Vaughan chegou a tocar na banda de seu irmão Jimmie Vaughan, a princípio assumindo o contrabaixo, apenas para ter a oportunidade de tocar em uma banda. Com a experiência adquirida após tocar em uma série de bandas, Vaughan formou o conjunto de blues e rock chamado Double Trouble com o baterista Chris Layton e o baixista Jackie Newhouse no final dos anos 70. Tommy Shannon substituiu Newhouse em 1981. No início conhecido apenas localmente, logo Vaughan atraiu a atenção de David Bowie e Jackson Browne, gravando em álbuns de ambos. O primeiro contato de Bowie com Vaughan havia sido no Montreux Jazz Festival. Bowie lançou Vaughan em seu álbum “Let’s Dance” na canção com o mesmo nome e também na canção “China Girl”.
 


O álbum de estréia do Stevie Ray Vaughan & Double Trouble foi lançado em 1983. O aclamado pela crítica, Texas Flood (Produzido por John Hammond) lançou o sucesso top 20 “Pride and Joy” e vendeu bem tanto nos círculos de blues como de rock. Os álbuns seguintes, “Couldn’t Stand the Weather” (1984) e “Soul to Soul” (1985), vivenciaram quase o mesmo sucesso dos discos anteriores. O vício em drogas e o alcoolismo levaram Vaughan a ter um colapso durante sua turnê em 1986. Passou por um processo de reabilitação na Georgia um ano mais tarde. Após seu retorno, Vaughan gravou “In Step” (1989), outro disco aclamado pela crítica que ganhou um Grammy pela melhor gravação de blues.


O estilo musical de Vaughan tocar blues era fortemente influenciado por Albert King, que se proclamou “padrinho” de Stevie, e por outros músicos de blues como Otis Rush and Buddy Guy. Stevie é reconhecido por seu som de guitarra característico, que em parte provinha do uso de cordas de guitarra espessas, pesadas, calibre .013. O som e o estilo de Vaughan tocar, que freqüentemente mescla partes de guitarra solo com guitarra rítmica, também trazem freqüentes comparações com Jimi Hendrix; Vaughan gravou várias canções de Hendrix em seus álbuns de estúdio e ao vivo, como “Little Wing”, “Voodoo Child (Slight Return)” e “Third Stone from the Sun”. Ele também era fortemente influenciado por Freddie King, outro grande músico texano, principalmente pelo tom e ataque. O pesado vibrato de King pode ser claramente ouvido no estilo de Vaughan. Outra influência no estilo foi Albert Collins. Sua técnica da mão direita, usando o dedo indicador, foi extensamente utilizada por SRV, batendo nas cordas contra o braço da guitarra.


O retorno de Vaughan foi tragicamente interrompido quando, na manhã do dia 27 de agosto de 1990, ele morreu em um acidente de helicóptero próximo a East Troy, Wisconsin. SRV seguia para uma apresentação no Alpine Valley Music Theater, onde na tarde anterior se apresentara junto com Robert Cray, Buddy Guy, Eric Clapton e seu irmão mais velho Jimmie Vaughan. Foi Eric Clapton quem cedeu seu lugar no helicóptero para Stevie.



Stevie Ray Vaughan está enterrado no Laurel Land Memorial Park,em Dallas, no Texas.

Fotos: Reprodução 

terça-feira, 12 de abril de 2011

FRASE DE TERÇA

Comecei uma dieta, cortei a bebida e as comidas pesadas e, em catorze dias perdi duas semanas.” (Joe E. Lewis)

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Coincidência?

Sem tirar os méritos da capacidade de Jimmy Page e cia, mas o Led Zeppelin já foi processado por plágio. Vai uma lista das músicas:


The Blues Maggos - “Yellow Rose” – “Stairway to heaven”
Little Richard - “Keep a rockin” – “Rock’n’roll”
Spirit – “Taurus” – “Stairway to heaven”
The Small Faces - “You need foolin” – “Wholla lotta Love”
Bobby Parker – “Watch your step” – “Moby Dick”
Jake Holmes – “Dazed and confused”
The Yardbirds – “Knowing that I’m losing you” - “Tangerine”
Howlin Wolf – “Killing floor” – “The lemon song”
Memphis Minnie – “When the levee breaks” – “When the levee breaks”
Joan Baez – “Baby, I’m gonna leave you” – “Baby I’m gonna leave you”
Leadbelly – “Gallis Pole” – “Gallows pole”

Blind Willie Johnson - “Nobody's Fault But Mine” - “Nobody's Fault But Mine”
Davey Graham – “She moved through the fair” – “White Summer”

Josh White – “Jesus gonna make up my dying bed”
Ritchie Valens – “Ooh, my head!” – “Boogie with Stu”
Bert Jansch – “Black water side” – “Black mountain side”
Bert Jansch – “The Waggoner's Lad” - “Bron-Y-Aur Stomp”
Bert Jansch – “Go your way my Love” – “Going to California”

Seria uma homenagem do Led Zeppelin (ou inspirações) ou um ousado plágio?


Vídeo: Reprodução



quarta-feira, 6 de abril de 2011

Scorpions



Formados em 1965, os Scorpions passaram os primeiros 18 anos sem conseguir muito sucesso nos EUA, embora já fossem bastante famosos na Europa e no Japão. Apenas com o lançamento do álbum Love at First Sting, a banda conseguiu agarrar as paradas americanas. Reconhecidos pelo single Rock You Like a Hurricane, os Scorpions assumiam um papel de destaque no rock. No início da década de 1990, tiveram fama com o álbum Crazy World e a música Wind of Change, inspirado nas mudanças sociais ocorridas no Leste Europeu e também no fim da Guerra fria.

Foram o primeiro grupo a tocar na Rússia após a extinção da União Soviética e, em 21 de julho de 1990 foram convidados a participar no espetáculo de Roger Waters, The Wall in Berlin, juntamente com outros como: Van Morrison e Bryan Adams.

 



Na Alemanha Ocidental, no final da década de 60, os irmãos e guitarristas Michael e Rudolf Schenker decidem montar uma banda com os amigos Klaus Meine (como vocalista), Lothar Heimberg (no baixo) e Wolfang Dziony (na bateria). Considera-se que, neste momento, surgia o Hard rock e a primeira banda desse novo estilo musical, os Scorpions.


Após gravarem uma fita demo, conseguem lançar o primeiro álbum, Lonesome Crow, em 1972. Apesar da boa repercussão da estréia, Heimberg e Dziony resolvem deixar o grupo e pouco tempo depois, Michael Schenker torna-se guitarrista da banda londrina UFO.


Sozinhos, Rudolf e Klaus dão continuidade ao trabalho e rapidamente entram em contato com o guitarrista Ulrich Roth (mais conhecido como Uli Jon Roth), que por sua vez convida o baixista Francis Buchholz e o baterista Jurgen Rosenthal para completar o grupo.


Fazem algumas apresentações e assinam com a RCA, que lança o segundo disco Fly to the Rainbow, em 1974. No ano seguinte, Rudy Lenners assume a bateria e o álbum In Trance faz sucesso em toda a Europa, dando início a uma turnê que consagrou o Scorpions como uma das melhores bandas de Rock ao vivo.


Em 1976, gravaram Virgin Killer e, em 1977, Taken by Force, realizando shows em vários países. Nessa época, Herman Rarebell já havia substituído Lenners e, em 1978, lançaram Tokyo Tapes, um registro da passagem da banda pelo Japão.


De volta à Alemanha Ocidental, mais uma baixa no Scorpions: Uli Jon Roth anuncia a sua saída para montar um novo projeto batizado de Eletric Sun, entrando em seu lugar Matthias Jabs. O grupo grava uma seqüência de discos que mantiveram seu nome entre os maiores da época: Lovedrive (1979), Animal Magnetism (1980) e Blackout (1982). Porém, seria o próximo trabalho (Love at First Sting, de 1984), que conquistaria uma quantia considerável de fãs com os hits Rock You Like a Hurricane, Big City Nights e a balada Still Loving You. O disco ao vivo World Wide Live sai no ano seguinte e o grupo fica quase quatro anos sem lançar material inédito.

 



Em janeiro de 1985 os Scorpions se apresentaram na primeira edição do festival Rock in Rio, ao lado de outras bandas como AC/DC, Iron Maiden, Queen, Whitesnake e Yes e de Ozzy Osbourne.


Somente em 1988, Savage Amusement chegou às lojas e também foi muito bem recebido. A coletânea Best of Rockers and Ballads e mais um disco de estúdio, Crazy World, que trazia a música Wind of Change, vieram em seguida.


Em 1993, o baixista Francis Buchholz é substituído por Ralph Rieckermann e lançam o álbum Face the Heat, que trazia a canção Under the Same Sun como o seu principal sucesso. O terceiro ao vivo da carreira, Live Bites, sai em 1995 e Pure Instinct é lançado em 1996, já sem a participação de Herman Rarebell, que foi substituído nas gravações pelo baterista Curt Cress. Herman Rarebell decide deixar a banda e abrir uma gravadora em Monte Carlo, chamada Monaco Records e James Kottak torna-se o novo baterista do Scorpions.


Gravam Eye to Eye em 1999 e, cansados de álbuns convencionais de estúdio, resolvem explorar outros caminhos. O próximo passo dos Scorpions foi bem aceito pelos fãs e pela crítica por se tratar de algo totalmente inédito: a gravação de um álbum com a Orquestra Filarmônica de Berlim, a mais importante do mundo. Intitulado de Moment of Glory e lançado em 2000, esse álbum traz faixas como Send Me a Angel, Still Loving You, Hurricane 2000 (uma nova versão de Rock You Like a Hurricane), entre outras, com novos arranjos orquestrados. A criação dos arranjos e a regência da orquestra ficaram a cargo do austríaco Christian Kolonovitz, que deu seqüência ao seu excelente trabalho com os Scorpions em outro projeto que foi batizado de Acoustica.


Em 2001, é lançado o álbum Acoustica. As apresentações acústicas, registradas no Convento do Beato, em Portugal, fizeram tanto sucesso quanto o trabalho anterior com a orquestra. Tiveram ainda o reforço de alguns músicos contratados, como um percussionista chileno, para que as versões mais intimistas, executadas apenas com violão soassem melhor.


Em 2004, lançam o álbum Unbreakable, que era aguardado com grande expectativa pelos fãs, pois havia 5 anos desde Eye to Eye que um álbum contendo canções inéditas não era lançado. O trabalho foi bem recebido pelos fãs. Com o álbum Unbreakable também foi apresentado o novo baixista da banda: Pawel Maciwoda, que substituiu Ralph Rieckermann, que deixou a banda um pouco antes das gravações de Unbreakable. A banda incluiu o Brasil na turnê Unbreakable e fizeram três shows no país em 2005. Os músicos apresentaram sucessos como Wind of Change, Rock You Like a Hurricane e New Generation, sendo esta última sua música de trabalho da turnê. O décimo sexto álbum de estúdio da banda, intitulado “Humanity: Hour I” foi lançado na segunda quinzena de maio de 2007. Em 2008 estiveram novamente no Brasil, numa rápida passagem.


 

No dia 24 de janeiro de 2010, a banda anunciou que encerraria a carreira e que realizaria sua última turnê, com o álbum Sting in the Tail, que foi lançado no dia 19 de março de 2010. Assim como o início de sua última turnê previsto para ser iniciada em maio de 2010 e atravessar o mundo por “mais uns anos”.

Fotos: Reprodução

terça-feira, 5 de abril de 2011

FRASE DE TERÇA


Passado de mulher é igual a cozinha de restaurante: melhor não conhecer.” (Autor Desconhecido)

segunda-feira, 4 de abril de 2011

O planeta está bem, mas já as pessoas...




O humano é realmente um ser egoísta... e que pensa que é superior.

Ele realmente acredita que pode acabar com a terra. O planeta tem 4,5 bilhões de anos o ser humano surgiu há de 200 a 250 mil anos. Levando em conta que o início de toda a poluição que o homem realizou só tem 200 anos (século XVIII).

O planeta terra já teve (e algumas ações ainda ocorrem): terremotos, vulcões, movimentos dos continentes, maremoto, tempestades magnéticas, raios solares, raios cósmicos, inversão dos pólos, bombardeio de meteoritos e recorrentes eras glaciais. Sem mencionar das chuvas ácidas, dos altos níveis dos gases na atmosfera e da elevada temperatura (já existia Dodge Viper na terra?).

A maior arrogância de todas é acredita que mesmo com tudo que o que ela passou, a queima de petróleo e das florestas irá acabar com ela.
A terra viverá com os seus plásticos e continentes alagados, mas sobreviverá.

O lema “Salve o Planeta” está mais para “Salve-me”. A Terra é que nem os seus pais: Ele o trouxe e pode “devolvê-lo”.

Foto: Reprodução